A EQUIPE Fórmula Del-Racing UFSJ foi criada no segundo semestre de 2011, inicialmente com o nome de FSAE-UFSJ. O Fórmula SAE é um projeto que visa o desenvolvimento de um protótipo estilo Fórmula em que os graduandos devem conceber, projetar e fabricar, para participar da competição organizada pela SAE.

 

Área do Painel 1
Painel 2

Setores

Aerodinâmica

O setor da Aerodinâmica é responsável por trabalhar os fluxos de ar que passam pelo carro enquanto ele se movimenta, visando um aumento de cargas verticais. Tais cargas verticais (downforce) fazem com que o carro seja pressionado contra o chão, aumentando a aderência dos pneus e fazendo com que o carro possua uma melhor performance, sem que seja adicionado grandes quantidades de massa e arrasto no veículo. Os componentes responsáveis pela geração de cargas são: asa frontal, asa traseira, difusor e sidepods, os quais são fabricados pelo próprio setor através do processo de laminação em compósitos.

 

Chassi

O setor do Chassi tem a principal função de unir todos os subsistemas do protótipo, como: suspensão, direção, motor, transmissão e frenagem. O objetivo é desenvolver um chassi com a melhor relação rigidez/massa e geometria, além de garantir a segurança do piloto através diversos dispositivos de segurança.

Os integrantes lidam com diversas áreas estudadas ao longo do curso de Engenharia Mecânica. Assim, tem a oportunidade de aprofundar os conhecimentos estudos na área de materiais, vibrações e processos de fabricação, além de realizar estudos práticos em laboratórios, realizando ensaios metalográficos, tração, análise de vibrações, entre outros.

Direção/Suspensão

O setor da Direção/Suspensão é responsável por todo o comportamento dinâmico do protótipo, buscando sempre otimizar o comportamento dos pneus e assim fazendo com que o carro desempenhe todo seu potencial nas pistas. A direção tem o objetivo de oferecer total controle ao piloto e manobrabilidade rápida para as provas. A suspensão é responsável por sempre manter o carro em contato com o solo, mesmo em condições extremas de curvas.

Eletroeletrônica

O setor da Eletroeletrônica tem como principal função oferecer suporte aos setores, por meio de validações e segurança ao piloto. O setor é dividido em duas subáreas que têm sua autonomia, mas respondem ao mesmo coordenador, sendo elas: Elétrica e Eletrônica. A elétrica é responsável pelo sistema de potência do protótipo que inclui a confecção do chicote elétrico, o sistema de injeção eletrônica e a análise de sensores e atuadores. Já a eletrônica se encarrega de realizar a aquisição de dados por meio da centralina que gerencia as informações e as envia em tempo real por meio de telemetria.

Engenharia do Produto

O setor da Engenharia do Produto é responsável por toda a parte organizacional, financeira, de marketing e de gestão de pessoas da equipe. Além de auxiliar a capitania na gestão, o setor busca constantemente a implementação e verificação de ferramentas da qualidade, a partir da elaboração de cronogramas ou organização da equipe. O setor também é responsável por todas as compras, pelo relacionamento com fornecedores e parceiros, além de ser a responsável por toda a gestão de materiais e suprimentos existentes.  Através de avaliações de desempenho e feedbacks, o setor busca sempre que os membros se sintam motivados e integrados à equipe.

Freio

O setor de Freio é responsável por transformar a energia cinética do veículo em energia térmica através do atrito é gerado entre a pastilha e o disco de freio, no caso do protótipo FDR-02. O sistema de freio do FDR-02 é composto de componentes interligados hidraulicamente. O fluido tem a função de transmitir a força feita pelo piloto no pedal e multiplicá-la através do Princípio de Pascal. O dimensionamento do sistema de freio busca estabilidade em pista e potência de frenagem, com peças leves para também otimizar o funcionamento do veículo como um todo.

Motor

O setor do Motor é composto por 3 subsetores: Admissão, Arrefecimento e Exaustão. O setor é responsável pela manutenção e o aperfeiçoamento da maioria das peças do nosso sistema, além de gerar o máximo possível de torque e potência dentro de nossas restrições. Atualmente utilizamos um motor de Honda CB600F de 600 cilindradas que possui 81 cavalos na roda e utiliza etanol como combustível. Nós utilizamos a FuelTech FT500 como modulo de injeção e assim conseguimos fazer diversos mapas para nosso veículo.

Simulação

O setor de Simulação tem como objetivo prever os esforços que os componentes do protótipo vão sofrer, além de simular seu comportamento dinâmico no carro. Dessa maneira o setor consegue, por meio de softwares mundialmente conhecidos, prever o comportamento dos componentes e do carro como um todo. Portanto o setor ajuda com que as peças sejam melhores projetadas, garantindo sua resistência e a tornando-a mais leve possível antes da fabricação, economizando tempo e dinheiro.

Transmissão

O setor da Transmissão trabalha com o sistema responsável por possibilitar a força necessária ao carro para sair de seu estado inercial, utilizando a energia gerada na combustão do motor. As forças realizadas por componente são transmitidas aos demais através de contato mecânico, permitindo que a rotação do motor seja transformada em torque no veículo. Certas passagens são realizadas por engrenagens de diferentes tamanhos e número de dentes, essa diferença é denominada Relação da Transmissão, responsável por delimitar quão forte é o sistema. Além disso, esse sistema é o responsável por possibilitar a diferente rotação nas rodas em casos de curva.

 

Área do Painel 3
Área do Painel 4